21 Feb 2016

Mudar

Somente quando vi a estante de livros praticamente vazia entendi que chegou a hora de seguir em frente, mas não sem antes derramar algumas lágrimas. Eu insisto em ver com o mesmo olhar. De amor? Talvez por isso eu não mais reconheça. O que existe agora é outro. Eu achava que eu tinha me preparado tão bem, mas nada nunca é como... E então não me reconheço nessa dor. "Meu peito tão dilacerado".  Vem a vontade quase irresistível de remexer no passado e tentar reescrever esse script que nunca foi meu. Mas empacotando todos aqueles livros de teoria feminista eu entendo que o que preciso mesmo fazer é escrever meu próprio script a partir de agora e eu sei a vida que eu quero viver, eu já comecei a me tornar a pessoa que eu quero ser. Sei que ainda passarei por momentos difíceis, seja empacotando minha vida, seja nos primeiros dias na casa nova. Irei acolhê-los e eles serão parte da minha nova história.

Ah, os livros! Eles não podem ocupar tanto espaço assim...

Share This:    Facebook Twitter
_______________________________

1 comments:

Renata said...

Curioso o quanto estamos em sintonia, mesmo vivendo experiências tão aparentemente diferentes. Também me sinto com a oportunidade de escrever minha história de acordo com o script que quero construir. E como estava com saudade dessa sensação.