16 May 2016

Uma bagunça

Semana passada foi bem ruim, mais do que o normal. Dei mancadas na vida profissional, fiz cagadas na pessoal, e acordei nesta segunda-feira com aquela ressaca moral amiga e a grande pergunta "o que estou fazendo com a minha vida?". Tenho adiado os exercícios físicos por causa de outros compromissos, ando comendo mal porque me falta tempo, não tenho conseguido dormir direito porque minha cabeça tem defeito, bebi muito mais do que deveria em três dias pois é a única maneira de encarar a realidade da política brasileira.

Não, né? Apenas não.

A autossabotagem desta vez assusta, porque não há ninguém para me salvar. Sempre foi exatamente o que eu precisava, aprender a contar comigo mesma, mas na maioria das vezes eu não sei como. E então continuo querendo alguém que me salve, que me indique o caminho, que me explique o sentido dessa minha vida. Não há. Não há alguém. Não há caminho. Não há sentido. Há salvação? Eu falhei miseravelmente em ser adulta, mas agora, sozinha, eu não tenho mais como fugir da responsabilidade que é cuidar de mim. E vou ter que fazer sem saber como, torcendo para que haja salvação no fim das contas.
Share This:    Facebook Twitter
_______________________________

2 comments:

Renata said...

a maioria de nós não sabe cuidar de si mesmo, não precisa. leva tempo, mas a gente aprende, cria a rotina, aprende a ver os sinais, o que tá fazendo, como a gente se autossabota. quase ninguém pensa nisso, mas a gente pensa, sabe que precisa pensar e uma hora fica natural.

tem salvação. =)

Clarice M. said...

Ufa, me dá uma pontinha de esperança. A gente pensa demais, né?