27 Jul 2016

Gilmore Girls, 9 anos depois


7 years in two weeks

Eu acompanhei "Gilmore Girls", religiosamente, por 7 anos. Em uma época em que minhas amigas estavam mais interessadas em assistir "Sex and The City", a dinâmica familiar dos Gilmore me era curiosíssima e, aos 20 e poucos anos, enquanto eu detestava a matriarca Emily, identificava-me com Lorelai mas no fundo queria ser um pouco Rory. Eu tenho as duas primeiras temporadas em DVD e já assisti algumas vezes, mas nunca tinha tido a oportunidade de rever toda a série. Quando os 153 episódios ficaram disponíveis na Netflix eu não pensei duas vezes antes de me jogar no sofá em frente à TV. Como eu poderia amar menos a minha série preferida de todos os tempo?

E não amei menos, nem um pouco. Porém, 9 anos depois da exibição do último episódio -- e tendo passado por tanta coisa eu mesma na minha vida -- meu olhar não poderia deixar de ser diferente. Muita pessoas falaram no Twitter sobre isso também, esse olhar diferente para a série. A maioria comentando sobre como Lorelai é irritante, o quanto a idade a tornou team Emily. Eu não consegui, não consigo, chegar a essa simplificação.

A dor de Emily Gilmore por passar tantos anos achando que perdera sua única filha ficou bem mais evidente, assim como ficou mais fácil entender todas as vezes em que ela mete os pés pelas mãos tentando resgatar esse relacionamento (ou apenas respondendo à criação que teve e ao mundo em que vive). Mas a dor de Lorelai, embora não tão evidente na maior parte do tempo, também está ali. A dor de não ser ouvida, de não ser entendida, de sentir que não faz parte. Nessas horas, o humor, o sarcasmo, a ironia, que acredito serem realmente parte da personalidade da personagem, funcionam como um excelente escudo. E é possível ver tudo que ela guarda dentro de si quando as emoções superam a necessidade de ser engraçada e transbordam. Lorerai cresceu muito nos 16 anos em que criou Rory longe de sua família, mas seu amadurecimento é mostrado para nós, ano após ano. E nesse caso, sorry Amy Sherman-Palladino, mas a última temporada fez um excelente trabalho mostrando onde Lorelai chegou.

Curiosamente, pouco tenho a comentar sobre a relação entre Lorelai e Rory. Rory é apresentada como uma menina muito madura e responsável. Não vou questionar sua responsabilidade com os estudos, mas maturidade não é o forte de Rory, e tudo bem. Estranho seria ter atingido essa maturidade com a criação superprotetora que teve. Para mim, o final dela na série foi um pouco forçado mas ideal para estimular o amadurecimento. Torço muito para que o revival reflita isso.

Por fim, vou me abster de falar sobre os relacionamentos amorosos. Já me declarei team Logan e eterna apaixonada por Max Medina; já achei que Lorelai e Christopher eram o par perfeito; já briguei com Luke por ser tão... Luke. Mas o que eu queria mesmo era ser surpreendida. Porque no fim das contas a gente nunca tem certeza de nada nessas coisas do coração, nem quando temos todas as razões do mundo para ter certeza.
Share This:    Facebook Twitter
_______________________________

7 comments:

Marcela Zaidan said...

Adorei rever a série!!!!!!!!

Ansiosa pelos novos episódios!!!!!!!!!

Ariani Martins said...

Ainda não revi a série! Estou aguardando um final de semana livre e longe de tudo e todos pra me trancar no quarto com guaraná e pipoca.

=*

Cheshire cat said...

Eu amava a série, mas hoje, com olhos de adulta amargurada ~risos~ acho que não teria paciência pra aguentar tanta gente adulta e privilegiada sendo infantil e fazendo besteira. Pra isso já basta minha vida hahaha

Courage Dear Heart said...

Eu amava! Estou assistindo tudo de novo e também sinto o que você sente... Vamos esperar o revival pra ver o que acontece!

Renata Lins said...

#TeamLogan, duas. (já escrevi isso várias vezes desde que voltou...)
Estou vendo de novo, mas devagar, pra não ter indigestão.
Continuo achando precioso: e os diálogos, aqueles diálogos rápidos e cortantes, como um duelo de atiradores de facas.
Já fiquei triste porque lembrei que o pai da Lorelai morreu, já me irritei de novo com a Melissa McCarthy que acho muito over em certos momentos... mas parece que continuo achando a série muito boa.

Clarice Concê said...

Que delícia acompanhar as experiências de vocês! Gilmore Girls ainda é minha série preferida.

Juliana said...

Eu ia comentar aqui, mas seu post me deu vontade dr escrever tb. =)