11 Jul 2016

Quando o amor acaba


Eu achei, muito inocentemente talvez, que quando não houvesse mais amor não haveria mais sofrimento. Mas o vazio que agora ocupa o que levou 10 anos sendo construído é devastador. É o momento de cuidar de si, as pessoas falam, e eu até concordo. E eu tenho, com muito orgulho, dado conta de tudo. Não sem ajuda, claro, mas sem dependência, com certeza. Acontece que depois que o luto do fim da relação passou, eu me vi em um novo luto, pelo fim de um projeto de vida que eu demorei demais para entender que era meu.

Eu nunca sonhara em casar, ter filho, constituir família, como dizem, mas tudo isso começou a acontecer comigo e eu fui muito feliz. Como eu planejei o resto dessa história! E como é difícil agora lidar com a possibilidade de não acontecer. Até bem pouco tempo atrás era inclusive  difícil me imaginar tendo filho com outra pessoa. Além disso, estar às vésperas dos 35 e ter há anos síndrome dos ovários policísticos me alerta para a questão biológica. No mais, não me vejo tendo um filho sozinha. Então, sim, existe um luto pelo filho e pela família que eu talvez não possa ter.

É um alento pensar que nada está certo? Sim! Como é um alento saber que se o amor acontecer novamente, eu estarei pronta. Porque passei a maior parte dos meus quase 35 anos tentando ser o que os outros esperavam que eu fosse para agradar (e falhei miseravelmente nisso). Então estou buscando ser essa mulher que tem sua própria identidade e a assume sem receios; que tem aprendido a lidar cada vez melhor com as consequências das próprias escolhas; sabe que precisa dar conta de si mesma e mesmo que não tenha chegado lá ainda, tem certeza que vai conseguir. A mulher que eu estou sendo não tenta ser perfeita, não tenta ser querida e amada acima de tudo. A mulher que estou sendo está aprendendo a se cobrar menos, sonhar fazendo planos e viver, um dia de cada vez, mas sempre viver.

Ainda é um aprendizado e alguns dias são bem doloridos. Mas eu sei que preciso preencher de mim o vazio que o amor que já não é mais deixou. E é nesse caminho que sigo.
Share This:    Facebook Twitter
_______________________________

2 comments:

Unknown said...

💪✋👊😘

Jussaria Nobre said...

Lindo e direto!! Força!!! Te compreendo bem quanto a todos os pontos ditos, inclusive o relacionamento de 10 anos... Agora é tempo de se encontrar! Bem.vinda!!!