17 Aug 2016

16 de agosto de 2016


Depois da derrota / Foto: Agência EFE

Neste dia o Brasil ganhou uma medalha de prata olímpica na canoagem e uma de ouro no boxe. Conquistas importantes e inéditas, dignas de entrar para a história esportiva do país. A mãe de Isaquias Queiroz, medalha de prata, nunca tinha visto o filho competir. Robson Conceição, medalha de ouro, teve uma infância humilde e foi levado ao boxe pelas brigas de rua. Histórias incríveis, inegavelmente. Ouro no boxe, o primeiro, uma conquista célebre. Então por que este 16 de agosto foi visto como um dia de derrota por muitas pessoas?

Também neste dia o Brasil competiu em três semifinais e duas quartas de final, todas elas em esportes coletivos femininos. Dos cinco jogos ganhamos apenas um, o único que não tínhamos muita esperança de vencer. Ainda tivemos a atleta Fabiana Murer, do salto em altura, que não passou da fase classificatória. Para quem estava celebrando a participação das brasileiras, encarar o dia de ontem foi uma tristeza, que começou no handebol e terminou no vôlei de quadra. Se você é supersticioso, pode até dizer que Ágatha e Bárbara venceram as americanas Walsh (aquela, é) e Ross porque na verdade o dia já tinha virado. Então não é o caso de diminuir as vitórias de Isaquias e Robson, mas lamentar as cinco derrotas do esporte feminino, que além de ter que lidar com a objetificação das atletas, em geral sofre com a falta de investimentos e espaço na mídia.

 Estamos há dias tendo que lidar com narradores, comentaristas e notícias de jornal com uma carga pesada de sexismo. As esperadas medalhas poderiam ajudar a mudar a forma como a mulher é vista no esporte. Claro que não resolveria o problema, mas eu tenho essa mania de me agarrar a tudo que pode melhorar uma situação ruim. Dizer que o dia de ontem não foi decepcionante por causa das duas medalhas em esportes individuais de pouca visibilidade (vamos combinar que o boxe já foi mais relevante?) é ignorar o trabalho que as atletas brasileiras vêm fazendo. Atletas que tinham tudo para brilhar, mas amarelaram.

As medalhas dos atletas homens, a linda vitória no vôlei de praia, o bronze da equipe feminina de revezamento com 8 anos de atraso serviram para deixar um sorriso no rosto no fim do dia. Mas o meu foi um sorriso meio amarelo.
Share This:    Facebook Twitter
_______________________________

0 comments: